Pão na Panela de Ferro (fermentação lenta)

Eu cresci no Brasil tendo muitas padarias por perto e comprando pãezinhos, pães ou baguetes recém-assados (não vou nem mencionar os doces!) regularmente. Além de pequenas padarias de bairro e padarias grandes mais “gourmet”, existem padarias em supermercados e até em alguns postos de gasolina! Muitas pessoas compram pão fresco duas vezes por dia, de manhã para o café da manhã e depois para o lanche da tarde ou uma refeição fácil à noite.

Desde que vim morar no Canadá, sinto muito falta dessa cultura de pão. Não que não existam boas padarias em Toronto, na verdade, temos algumas incríveis, e eu tenho duas boas (uma portuguesa e outra italiana) localizadas a uma curta distância da nossa casa, mas não é a mesma coisa. As pessoas aqui não tem o hábito de ir às padarias em certas horas do dia porque sabem que tem fornada de pão saindo, indo embora com o pão tão quente que mal conseguem segurar os cantos do saco de papel. E pra muita gente, a comodidade do pão fatiado de supermercado ganha praticamente o tempo todo.

Dutch Oven Bread | Pão na Panela de Ferro

Meu relacionamento com pães está mais próximo do que vi e vivenciei na Europa. Países como Portugal e Itália, que influenciaram muito a alimentação e a cultura do Brasil, e a França, com seu tratamento quase reverente do pão, parecem muito mais “próximos” pra mim. Eu adoro o cheiro de pão assando e muitas vezes bate vontade de comer um pão artesanal e crocante, que eu possa fatiar e simplesmente saborear com manteiga, usar para acompanhar uma tábua de frios e queijos ou para fazer sanduíches.

Eu tenho algumas receitas de pão caseiro que vieram da minha mãe, mas eles são geralmente doces e macios, tipo brioche, e não ajudam quando bate a vontade de pão tipo baguete. Mas quando eu comecei a ver várias receitas de Pão na Panela de Ferro na internet, vi as fotos dignas de invejinha, e li os comentarios de como era fácil e quão incrível o pão fica, eu tive que experimentar! Eu fiz o pão várias vezes, fiz modificações e uni elementos de receitas diferentes até chegar à minha versão abaixo, e posso dizer honestamente que este é o pão mais fácil e saboroso que já fiz!

Esse pão é perfeito para o café da manhã ou brunch de fim de semana, ou para complementar antipastos ou uma tábua de queijos e frios. As sementes fazem o pão ainda mais especial, e podem ser trocados por uma combinação diferente, dependendo da estação ou das preferências da família (por exemplo, acho que fazer esse pão adicionando passas e nozes seria maravilhoso!).

Pão na Panela de Ferro (fermentação lenta/natural)

1 pão grande

Ingredientes

  • 3 xíc. de farinha de trigo, mais um pouco para esfarinhar
  • 1 colh. chá de sal
  • 1 colh. chá de fermento granulado seco
  • 1 1/2 xíc. de água morna (43 a 46°C)
  • 1/4 xíc. de sementes de abóbora, torradas (opcional)
  • 1/4 xíc. de sementes de girassol, torradas (opcional)
  • 1 colh. sopa de sementes de gergelim, torradas (opcional)
  • 1 colh. sopa de sementes de linhaça

Modo de fazer

  1. Em uma tigela grande, misture a farinha, o sal e o fermento. Adicione as sementes para fazer um pão mais complete ou deixe sem as sementes para um pão simples.
  2. Adicione em água morna e mexa até incorporar. A massa ficará bem grudenta.
  3. Cubra a tigela com filme plástico e reserve para deixar fermentar (eu coloco dentro do microondas ou do forno em temperatura ambiente) por 8 a 18 horas até que a massa cresça e fique plana por cima.
  4. Depois da fermentação, solte e a massa um pouco dos lados da tigela. Esfarinhe generosamente uma folha de papel manteiga; transfira a massa para o papel enfarinhado, tentando fazer um formato mais ou menos redondo. Polvilhe com um pouco mais de farinha. Cubra com um pedaço de filme plástico e deixe descansar por 25 a 30 minutos.
  5. Enquanto a massa descansa, coloque a panela de ferro tampada dentro do forno e pre-aqueça o forno até 230 ° C (450 ° F). Depois de chegar na temperatura, a panela deve continuar no forno (vazia) por pelo menos uns 10 minutos.
  6. Remova cuidadosamente a panela quente do forno. Descubra a massa, pegue o papel manteiga pelos 4 cantos e transfira a massa para a panela, com papel por baixo. Tampe a panela e volte ao forno.
  7. Asse o pão por 40-45 minutos (assar pelo tempo maior faz uma casquinha mais grossa e crocante), e se necessário, mais 10 a 15 minutos com a panela destampada, até que esteja assado e bem corado. Deixe esfriar um pouco antes de fatiar.

Notas:

  • Use medidas padrão de xícaras e colheres para que a receita siga as proporções certas.
  • Para torrar as sementes, eu uso uma frigideira sem óleo em fogo médio, mexendo sempre, até começarem a dourar. Eu adiciono as sementes de abóbora primeiro até que elas comecem a “estalar”, em seguida, adiciono as sementes de girassol mexendo até corarem um pouquinho, e por último adiciono as sementes de gergelim, pois elas torram rapidinho. As sementes de linhaça não precisam ser torradas.
  • As sementes podem ser substituídas por nozes picadas (nozes, avelãs, etc.) e / ou frutas secas (passas, damascos, tâmaras, etc.).
  • 1 xícara da farinha de trigo pode ser substituída por 1 xícara de farinha integral para um pão mais denso.
  • Eu usei panelas de 3,5 L e 5 L para assar o pão e ambas funcionaram. A massa tem mais espaço para crescer na panela maior.
  • Esse pão de fermentação lenta/natural tem um sabor mais pronunciado (conhecido como “sourdough”), que se torna mais forte quanto mais tempo a massa fica fermentando.
  • Depois de esfriar, o pão pode ser fatiado e mantido na geladeira em um recipiente fechado, ou congelado, e aquecido na torradeira para consumir. 
  • Esse pão não leva açúcar, e o fermento se “alimenta” dos carboidratos da própria farinha de trigo para crescer, tornando a massa mais saudável e mais fácil de digerir.

Deixe uma resposta