Havaí – Oahu

Aloha, pessoal! Aqui vai outro #memoriasdequintafeira, e desta vez eu estou escrevendo sobre a nossa primeira visita ao Havaí em outubro de 2016 – a foto acima é da área de chegada no aeroporto de Honolulu, uma maneira encantadora de começar a entrar no estilo de vida Aloha! 🙂

Antes de chegar na viagem, há algo que você deve saber sobre meu marido e eu. Nós preferimos dizer que somos “espontâneos” e que procuramos um bom “custo-benefício” quando viajamos de férias, mas algumas pessoas podem dizer que somos “procrastinadores” e “caçadores de pechinchas de última hora”! 🙂 Seja como for, somos geralmente flexíveis com nossas datas e destinos de viagem e tentamos encontrar uma combinação de custo razoável e localização interessante de cada vez.

Agora voltando para o assunto do post. Enquanto procurava algumas opções de férias para aproveitar o feriado canadense de Ação de Graças (início de outubro), encontramos alguns preços baixos nos vôos para Honolulu, na ilha de Oahu. Parecia que “as estrelas estavam se alinhando” para isso: alguns amigos que também moram em Toronto visitaram Oahu pouco antes e nos encorajaram a ir. Eu também tenho uma amiga e blogueira (obrigada por tudo, Lucia Malla!) que vive em Honolulu há vários anos, e quando eu disse a ela que estávamos pensando em conhecer, ela mencionou que outubro é “baixa temporada” no Havaí, e geralmente é um ótimo momento para visitar, pois os preços são mais baixos e está menos cheio. Isso pareceu ideal, então nós compramos as passagens e começamos a fazer as malas!

Eu li muitas dos posts no blog da Lucia e enchi a coitada (e outros amigos familiares com as ilhas) com perguntas para obter dicas / sugestões / recomendações, e assim comecei a planejar um itinerário com algumas idéias sobre o que ver e fazer. Nós só teríamos 10 dias lá, e sempre tentamos reservar um tempo relax pra “não fazer nada”, então decidimos conhecer só uma ilha (Oahu) e talvez visitar as outras ilhas em futuras viagens. Aqui estão alguns dos destaques.

  • Encontramos nossas acomodações na AirBnB e ficamos em um estúdio (quarto com banheiro privativo e pequena cozinha) que ainda tinha uma varandinha para sentar e relaxar ou tomar café da manhã. Nós compramos bebidas, pão, queijo, ovos, etc., e comemos no estúdio a maioria das manhãs, para que pudéssemos nos aprontar mais cedo e sair direto para a praia ou para explorar a ilha. Para alguns dias, tivemos a chance de provar opções locais de café da manhã também.

 

  • Muitas pessoas dizem que o Havaí é um destino caro, e enquanto eu concordo que pode ser mesmo, um pouco de pesquisa e flexibilidade podem ajudar muito. Para opções de alimentação, por exemplo, dependendo do lugar onde se hospedar ter uma cozinha ou não, uma ida ao supermercado pode ajudar a economizar e permite maior controle sobre o que está comendo nas férias. Você também pode economizar com uma caixa ou bolsa térmica pequena, assim levar comida/bebidas e fazer piquenique na praia em vez de comer nos restaurantes nas proximidades, o que pode ser pesado na carteira. Não estou dizendo que você não deve comer fora e, para nós, desfrutar da comida local é uma parte muito importante da viagem. Mas, para apreciar os sabores locais, você geralmente não precisa comer as opções mais caras o tempo todo. Há muitas opções mais acessíveis que os “locais” costumam desfrutar, e se eles moram lá, eles devem saber, certo?
  • Recomendações de comidinhas:
    • Experimente as panquecas de banana e macadâmia com xarope de coco (muitos sabores disponíveis em locais de café da manhã – abacaxi, goiaba, lilikoi / maracujá, etc. – mas essa combinação foi nossa favorita!);
    • Vale a pena encarar a fila longa para comer a sopa de udon do restaurant Marukame (US $ 5 e MUITO bom!);
    • O Musubi Cafe Iyasume em Waikiki é pequeno e movimentado, mas vale a pena também (cerca de US $ 2 cada musubi / onigiri);
    • E POKE, super tradicional do Havaí! Nós comemos poke (peixe e/ou frutos do mar crus e marinados/temperados) em restaurantes, cafés e até comprados em supermercado, e sempre estavam excelentes! Menção especial para o Pa’Ina Cafe e o supermercado Foodland.
    • Encontre um restaurante havaiano (como o Highway Inn) e experimente as especialidades locais – eu provei o Lau Lau de frango com acompanhamentos tradicionais!
    • Além disso, experimente as macadâmias Mauna Loa (outras marcas disponíveis também) em diferentes sabores (doces e salgados) e traga latinhas de volta para casa ou dê como presentes, se conseguir resistir a elas! Nossos sabores favoritos foram Kona Coffee Glaze e Butter Candy Glaze.
  • Ficamos hospedados bem no meio de Waikiki, o destino mais “turístico” em Honolulu. Encontrar estacionamento neste bairro é bem difícil e caro, e sempre está lotado por lá, então não alugamos carro para toda a estadia e ficamos gratos de poder chegar a pé nos lugares com facilidade (restaurantes, bares, cafés, lojas de conveniência da ABC em todo lugar, supermercados, shopping centers, etc.), e a praia muito legal de Waikiki estava a 2 quarteirões! O jardim zoológico de Honolulu, o aquário de Waikiki e Diamond Head também estão muito próximos.
  • A praia de Waikiki é uma visita obrigatória! É muito “urbano” e ainda assim muito bonito, com um calçadão show, boa faixa de areia, e áreas onde o mar é rasinho e calmo, onde você pode fazer snorkel ou simplesmente nadar/boiar. Indo um pouco mais pro fundo, depois da barreira de rochas, tem ondas suaves e constantes, perfeitas para o surf. Sempre há muitos surfistas por lá, desde crianças e novatos até mais experientes. O ambiente não é competitivo, são apenas pessoas que apreciam o mar e as ondas. E você pode marcar aulas de surf ou alugar uma prancha diretamente na areia. Você também pode alugar cadeiras de praia e guarda-sol, paddle boards, etc.
  • Alugamos um carro só por alguns dias e descobrimos que as locadoras no aeroporto ofereciam um custo muito menor do que pegar o carro de uma das agências na cidade (especialmente em Waikiki). As opções de transporte publico de Waikiki para o aeroporto são freqüentes e baratas, então, pegar 1 ônibus até o aeroporto no dia de buscar o carro e 1 ônibus de volta depois de devolve-lo fez sentido para nós.
  • Dirigir ao redor da ilha é fácil e as distâncias são curtas o suficiente para poder visitar diferentes áreas e ainda voltar a “base” no mesmo dia. No primeiro dia com o carro, fomos até Kahala, Hawaii Kai, Sandy Beach, e encaramos a trilha do Farol de Makapu’u Point e a praia de Makapu’u.
  • Pelo caminho ou como destino para passar o dia, o snorkel em Hanauma Bay é outra parada obrigatória (vale a pena!). Se não estiver indo com excursão, tente chegar de manhã cedo (eles abrem às 6 da manhã), antes que todos os ônibus cheguem. Isso porque eles fecham o portão quando a capacidade maxima de pessoas é atingida e reabrem quando as pessoas começam a sair. Ou vá depois do almoço quando as excursões já sairam. E lembre-se, Hanauma Bay fica fechado nas terças.
  • Outro dia de passeios nos levou além de Makapu’u até Kaupo, Waimanalo, Sherwood, Kailua e Lanikai (com uma bela vista das Ilhas Mokulua!). Eu me apaixonei por esse lado da ilha e essas praias, cada uma delas única e encantadora. Planeje uma parada no Ono Steaks e Shrimp Shack, em Waimanalo. Muito bom!
  • Em outro dia, fomos para o North Shore (costa norte), passando pelo Mirante de Pali para apreciar vistas panorâmicas da ilha! Muito lindo, mas lembre-se de que a temperatura esfria um pouco e venta bastante lá em cima! No North Shore, pare e aproveite a vibe de surf em Haleiwa e Banzai Pipeline (onde os campeonatos internacionais de surf são realizados), e muitas outras pequenas praias e baías, ótimas para o snorkel (as condições do oceano mudam muito em algumas areas de acordo com a época do ano, e as praias que são desafiadoras para até mesmo os surfistas mais valentes durante alguns meses se tornam “piscinas” em outros meses – então faça sua pesquisa!). E nenhuma viagem para a North Shore está completa sem parar nos traillers (food trucks) de camarão (Giovanni é o original e é excelente) para um bom prato de camarão fresco preparado na hora com o tempero de sua escolha e servido com arroz! Muito bom!
  • Dirigindo para a costa oeste em outro dia, visitamos Kapolei, Ko Olina (com suas lindas pequenas baías e resorts de luxo) e Paradise Cove, onde fizemos um snorkel maravilhoso bem na beira da praia observando uma tartaruga marinha, muitos peixinhos e vimos um lindo pôr-do-sol! Para o jantar no caminho de volta, recomendamos o restaurante Thai Lao em Kapolei (a sobremesa de tapioca é show!).
  • Nós somos mais de “praia e natureza”, mas também tiramos um tempo para ir ao centro de Honolulu e ver alguns sites históricos / interessantes (Aloha Tower, Kamehameha Statue, Iolani Palace, etc.). Pesquise as atrações locais e personalize o seu roteiro de acordo com o que achar interessante.
  • Não perca também:
    • Assistir os fogos de artifício do Hotel Hilton nas noites de sexta-feira. Do Magic Island a vista dos fogos é perfeita (e belas vistas do pôr-do-sol também – traga uma cadeira ou toalha e um piquenique, ou visite o Ala Moana Center pertinho para muitas opções de comida)
    • Os dançarinos de hula nas noites de terça-feira perto da estátua de Duke Kahanamoku em Waikiki.

Essa viagem foi maravilhosa e nós adoramos Oahu e o Havaí, sua natureza deslumbrante, seu povo amigável e descontraído. Há muito mais para descobrir e muitos favoritos que queremos revisitar por lá, então espero que voltemos em breve. Mahalo pela hospitalidade!

Já esteve em Oahu ou outras ilhas do Havaí ou está planejando ir? Gostaria de fazer perguntas ou deixar recomendações? Fale conosco nos comentários abaixo! 🙂

Deixe uma resposta